Porque não a municipalização dos bombeiros?

Escrevo este texto no dia em que se comemoram 44 anos da revolução de Abril de 1974 e quero saudar não só os militares de Abril, mas todos os homens e as mulheres que lutaram para que o que aconteceu nesse dia fosse possível. Portugal mudou. Quarenta e quatro anos de liberdade, de democracia, que se viveram com lutas diferentes. A luta pelos direitos à saúde, à educação, à igualdade de oportunidades para mulheres e homens. Percebemos o muito caminho que se fez e se é certo que muito ainda falta fazer para garantir a salvaguarda dos direitos dos cidadãos, independentemente do credo político, raça ou género, as portuguesas e os portugueses têm de fazer desse objectivo uma causa de todos os dias. Que nos possamos continuar a orgulhar sempre de um dia sobre o qual já passaram 44 anos. Neste momento e porque este número da gira é dedicado aos bombeiros, envio uma saudação muito especial a todas e a todos que dão de si sem pensar em si. O ano de 2017, ficará gravado na memória de todos os nossos soldados da paz a sangue pelo inferno que em junho e outubro atingiu Portugal e que provou que, mesmo nas alturas de maior dificuldade, não viram as costas ao perigo, com risco da própria vida e cumprem o dever que um dia, voluntariamente, abraçaram. Aos bombeiros de Portugal e particularmente aos do concelho de Vila Franca de Xira uma saudação muito forte. Considero que é importante ter atenção às condições e meios que as associações dispõem para o desempenho das suas funções. Na minha opinião é importante considerar em parte a reestruturação desta entidade e quando estamos à beira de dar um passo de gigante na reforma do estado com a descentralização, porque não equacionar a municipalização parcial das nossas associações? A todas e a todos os bombeiros de Portugal um muito obrigada pela sua generosidade e dedicação.

Maria da Luz Rosinha* opinião *deputada do PS no Parlamento

Please follow and like us:

Faça o primeiro comentário a "Porque não a municipalização dos bombeiros?"

Comentar

Gostaste do que leste? Assina, faz gosto e partilha