Vila Franca precisa de turistas

Por António Dias* | Ao longo do ano, todas as autarquias, umas mais que outras, promovem eventos de atração de visitantes. São uma forma de trazer dividendos para a terra. Vila Franca de Xira sempre fez esse esforço, apesar de grandes certames ainda pairarem no imaginário saudosista de muitos vilafranquenses, como a feira do melão ou a feira do cavalo. Isso acabou, mas há agora o Cartoon Xira, a Bienal de Fotografia, o Colete Encarnado que enche a cidade de vida, eventos desportivos, como a Corrida das Lezírias e, finalmente, as campanhas gastronómicas do sável e do torricado de bacalhau. Em Salvaterra de Magos, decorre, também em março, o festival da enguia. O evento de apresentação que pude acompanhar foi vivo e animador, onde marcaram presença autarcas de concelhos da lezíria e, inclusive, o presidente da Entidade Regional de Turismo do Ribatejo e Alentejo. Houve discursos, o voo de um falcão, música e um almoço para jornalistas, autarcas e empresários. Deu vontade de voltar. Vila Franca de Xira quis inovar e, este ano, foi até Lisboa, ao Welcome Center, apresentar o “Mês do Sável”, precisamente no mesmo dia. Momento que pude também acompanhar. Senti-me abismado com a diferença: pouco mais de uma dúzia de elementos autárquicos e um presidente da Entidade Regional de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo que apareceu por minutos e depressa fugiu, sem, pelo menos, deixar umas palavras de apoio à comitiva presente. Foi constrangedor e desmotivador. António Félix, agora com o pelouro do Turismo, bem que gostava de trazer mais turistas estrangeiros para o concelho. Encolhe os ombros quando lhe pergunto como isso se faz. Ao que o vereador responde: “não podemos fazer tudo sozinhos”. Tendo a concordar. Oiço muitas críticas, lamentos e oposição. Mas vejo pouca ação de privados, salvo raras exceções, e esforço das entidades competentes.

 

*jornalista e diretor da revista gira

Please follow and like us:

1 comentário a "Vila Franca precisa de turistas"

  1. Boa tarde,
    Parece-me que encolher os ombros não é, de todo, uma boa resposta, penso que poderei ajudar, nem que seja alegoricamente.
    Importa perceber que tipo de turista queremos conquistar, ou seja, não vale a pena investir num sector que não se enquadra no concelho ou, mais além, no público que queremos captar.
    1) O Tejo continua desprezado, desportos como: Canoagem, Vela, Regatas atraem muitas pessoas e o Tejo poderia ser potenciado nesse sentido. Porque não criar uma Associação ou Escola ou simplesmente condições para estas Actividades? Atraíria certamente mais turistas;
    2) Rota histórica do Património do Conde Farrobo, sendo que em Lisboa, em pleno Chiado, o Palácio do Conde Farrobo foi valorizado e agora alberga um conjunto de experiências alimentares. Contextualizar o Palácio Farrobo no contexto da região e, porque não, criar um Lar de Idosos, aliado a uma escola de Arte, sustentado na interligação das várias camadas etárias. O Convento de Santo António, também votado ao abandono, poderia fazer parte deste projecto. Caso não seja possível, visitas turisticas às ruínas, há turistas para tudo – valorização do património existente;
    3) Rehabilitação urbana, ou seja, colocar a Urbanismo da CMVFX a funcionar de uma vez por todas, já não há paciência para tanta burocracia pateta, somando diariamente ruínas e desmotivação de potenciais investidores. Nenhum turista quer ver uma cidade decrépita;
    4) Dinamização do Mercado Municipal, à semelhança do que acontece noutros mercados do país, com espaços para alimentação, confeccionada com produtos do próprio mercado.
    5) O Shopping merecia outro desfecho, tema debatido, mas sem soluções. Porque não colocar galerias no Piso 0, rentabilizar as garagens, pois é dificil estacionar no centro histórico. Não é necessário ter todo o equipamento em funcionamento… Turistas também procuram lojas e comércio.
    6) Onde posso comprar uma Lezíria? ou uma Espera? Já ninguém confecciona docaria tradicional?

    Os Turistas só viajam para sítios que ofereçam um leque de Actividades, com bom aspecto e com alternativas diferentes. Valorizem-se senhores.

    Parabéns à Gira pelo vosso trabalho.

    Cumprimentos,

Comentar

Gostaste do que leste? Assina, faz gosto e partilha